sábado, 12 de março de 2011

Sun

Tenho a esperança de que renasças um dia. De que renasçamos. Melhores. Uma completa pra outra. Uma não esquecendo a outra. Uma tendo procurado a outra. Uma amando, todos os dias e todas as noites, a outra. E o nosso mundo. Eu e tu e mais ninguém. E gostando dos outros, mas amando à nós. Adorando as outras, mas sendo de nós duas. Doídas de saudade. 
E o meu maior desejo é que tu sejas a minha mulher. Ela. Minha companheira. Meu colo, meu ombro. 
Não, não quero uma muleta, não quero me apoiar em ti. Só não sou tão auto-suficiente. Só não sou tão forte. Só preciso também ser amada. E tenho paciência pra esperar o teu amor. Eu tenho calma pra receber tua reciprocidade. Tenho amor suficiente em mim pra fazer do mundo afável, só que o meu amor maior do mundo é direcionado apenas à ti.

Desculpa se errei ou falhei ou faltei em algum momento. Desculpa se te decepcionei. Desculpa se te fiz sentir sozinha, abandonada. Se eu fiz isso, se eu cheguei ao ponto de faltar à ti, foi porque o meu coração pedia socorro e a minha alma implorava cuidado. E eu não queria mais do que isso. 


Eu nunca te pedi mais do que sinceridade, honestidade, fidelidade, lealdade, compreensão e carinho. Uma mão, um colo. Um "vai ficar tudo bem, eu tô contigo". Eu nunca exigi mais do que isso, porque eu sei dos meus limites e eu jamais peço mais do que posso dar. E jamais peço pra que aumentem o próprio limite porque ninguém é igual à ninguém. 
Prometo e juro te reencontrar. Existem amores eternos. Eu te amei, eu te amo. Não consigo te matar em mim simplesmente porque és infinita, imortal. És eterna. Meu Deus!, como eu te amo! Queria ter te encontrado no tempo certo. Queria ter te feito bem, ter te cuidado bem. Um dia eu vou. Podes me negar a chance agora, mas não me apaga do coraçãoNão me mata em ti


Eu só vou porque não existe espaço agora. Não me deram espaço. Me deram limite, me repreenderam, me deixaram com medo. Me disseram que eu te amava em vão, sem receber nada. Mas eu não pedi nada em troca quando resolvi me doar. Eu só esperei, uma esperança que adormeceu quando me disseram que o teu amor não era meu. Uma esperança que sofreu, machucou... e tá aqui, quietinha, querendo falar. Mas eu peço calma pra que tu tenhas teu tempo. Pra que te deem tempo. 
Não deixaram o nosso amor crescer. Mas quem fez isso podou só as folhas e as flores e deixou as raízes. No meu coração tu sempre vais florescer e eu sempre vou cuidar pra que não morras nos meus outonos e invernos astrais, porque tu és meu sol. 


Me destes, por muito tempo, os sorrisos. Só que desacostumastes. Ou eu te acostumei mal. Ou eu te aborreci. Um dia eu entendo.
Tenho fé. Não digo fé em Deus, nem em nada que não me seja palpável, que não me dê certeza. Por isso tenho fé em mim. E tendo fé em mim e no meu coração, deposito o meu amor à ti, pra ti. 
Mesmo que em outros braços, que sejam apenas consolo. Mesmo que em outros beijos, que sintas as minhas saudades. Sabes que sou tua como nunca fui de ninguém e nem desejo ser. Por te amar demais e por me amar, principalmente. Porque se dar assim, com essa intensidade, é para poucos. 


Eu posso dizer que uma vez em minha vida eu fui intensamente de outra pessoa e não minha. E essa pessoa és tu.

Sempre que precisares, eu vou estar aqui, de coração e braços abertos. 

Amo-te, 
amo-te, 
amo-te.


Beijos.
Até logo. 

5 comentários:

Marianu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lululul disse...

Se eu parar de chorar eu volto a ser sua amiga =,(

Feia =*

Tamara disse...

Seu texto me lembrou uma musica da Fiona Apple. :)

Julia Malaguti disse...

Ainda espera? Uma vez me disseram aquela frase boba "quem espera sempre alcança". Espero que consiga o que desejas, e, caso não, lembre de um pequeno porto seguro para as dores no Rio de Janeiro.

Anônimo disse...

Existe uma parte desse texto que não veio parar aqui: "Me desculpe te prejudicar, prejudicar tua saúde. Sempre que precisares, eu estarei aqui de braços abertos." Aí vem o amo-te amo-te amo-te. Beijos, até logo.